07 de dezembro

GDF - Administrações Regionais
5/12/21 às 17h26 - Atualizado em 5/12/21 às 17h26

Aeródromo em Brazlândia

COMPARTILHAR

Texto: Samuel Barbosa

Fotos: Sheyla Martins e Israel Pinheiro

Na última quinta-feira, 2, o auditório da Administração de Brazlândia foi o espaço usado para a realização de um workshop com o tema: Aeródromo em Brazlândia – Desafios, Perspectivas e Oportunidades. O evento foi promovido pela administração local, o qual contou com a experiência da Nexxus, empresa de desenvolvimento tecnológico em projetos aeronáuticos e navais, também especializada em implantação de condomínios aeronáuticos.

O administrador de Brazlândia, Coronel da Reserva remunerada, Jesiel Rosa, abriu o encontro falando dos trabalhos desenvolvidos na região, que está trazendo de volta o progresso e colocando a cidade na rota do desenvolvimento e do turismo. Ele falou, ainda, sobre os desafios de administrar tudo com um olhar voltado para o projeto “Brazlândia em 100 anos”.

O coronel lembrou que em 2019, conheceu o local onde funciona uma pista, na área da Flona 4, no Rodeador, em Brazlândia. Mesmo sem estrutura, este espaço é usado por aeronaves do Corpo de Bombeiros e da defesa civil para combates aos constantes incêndios na área do Parque Nacional. Ali ele viu o potencial que o local oferece para a implantação de um aeródromo ou até mesmo de um aeroporto de cargas. Um viés de desenvolvimento que a cidade ainda não conhecia. A aposta do administrador é, principalmente, no crescimento econômico da região e no turismo natural que Brazlândia oferece. O local pode ser acessado facilmente pelas rodovias 060, 070, 080, além das DF`s 206, 170, 220, 415 e a DF 001, a qual foi recentemente pavimentada.

Em junho de 2021 foi realizado um encontro na área do aeródromo entre o administrador, o deputado Iolando Almeida (PSC) e a Cúpula da Segurança Pública do Distrito Federal para tratativas a respeito do projeto de estruturação física do lugar, visando o funcionamento de um aeródromo que proporcione apoio logístico às aeronaves de segurança pública do DF.

Fazendo o uso da palavra, o coronel do Corpo de Bombeiros do DF, Lázaro de Deus Batista, disse que a pista é bastante eficaz no combate a incêndios na floresta nacional, e recentemente foi instalada uma caixa d'água de 100 mil litros, o que tem auxiliado no abastecimento das aeronaves, tornando os serviços mais precisos. O coronel adiantou que já conseguiu a autorização junto ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), a licença ambiental para asfaltar a pista. O processo de implantação do asfalto já está em trâmite.

Ainda segundo Lázaro, junto com o asfaltamento toda a área da pista será cercada para evitar que animais adentre ao local colocando em risco poso e decolagens das aeronaves e ainda preservar a vida dos animais. O coronel disse ainda que inicialmente o Corpo de Bombeiros pretender construir um angar para suas aeronaves e posteriormente todas as secretárias de segurança do Distrito Federal construirão seus angares.

Para o professor de aviação do Centro Universitário (ICESP) e especialista em gerenciamentos de aeroportos, Hugo Novaes, a área é propícia para construir um aeródromo e oferece todas as recomendações e padrões para ser um aeródromo reconhecido aqui no DF. Hugo lembrou que o Brasil tem mais de dois mil e quinhentos aeródromos privados no país, necessitando da construção de aeródromos públicos e posteriormente podendo virar um aeroporto, colocando Brazlândia na rota da aviação civil.

O Projetista Senior, desenvolvedor e fundador da Nexxus, Rubbens Bento Borges (O Rubinho), lembrou que o administrador de Brazlândia fez uma visita à sua empresa, em Goianápolis, uma cidade com cerca de 10 mil habitantes, onde conheceu o funcionamento de seu aeródromo, que tem uma pista de 1.640 metros.

Na oportunidade Jesiel o convidou com sua equipe para conhecer a pista em Brazlândia, visita que aconteceu no último dia 26/11. Rubens ficou encantado com a área e disse que o local é favorável para desenvolver vários projetos da aviação, com ofertas de cursos profissionalizantes, além de oferecer uma formação inicial de qualidade e capacitação continuada, treinando e aperfeiçoando mão de obra para os interessados em trabalhar com manutenção de aeronaves.  

Segundo Rubinho, as perspectivas para desafogar o trânsito nas grandes capitais será via aérea. Por isso, a construção de aeródromos em cidades que tem área segura é importante. Ele frisou que é preciso unir forças com todos os órgãos do governo, principalmente da segurança, para que o aeródromo de Brazlândia possa ser concluído e projetado para uso de aeronaves de todo o país. Ainda se colocou à disposição da administração, para auxiliar, com toda a sua experiência, neste projeto.

Finalizando o workshop, o coronel e anfitrião Jesiel Rosa, disse estar otimista com o sucesso do evento e acredita que o reconhecimento da vocação de Brazlândia para sediar um aeródromo é uma posição tática da nossa região. “A proximidade com rodovias como a 060, a 070, a 080 além das DFs 206, 170, 220, 415, 001 favorecem uma posição estratégica de um futuro promissor para nossa cidade. Por fim espero que essa proposta não seja somente um sonho de Brazlândia, mas sim um sonho de todo o Distrito Federal”, previu o chefe do executivo local.

Além dos citados acima, também participaram do workshop, Lucas Veloso, Designer e Coordenador de Projetos e Co-fundador; Vagner Galvão, Executivo, Relações Públicas e Co-fundador; Patrícia Vilella Galvão, Coordenadora Pedagógica; Ricardo Ignácio de Macedo, Coronel Aviador R1; Synei Filgueira de Souza, Especialista em Transporte, Mestre em Transporte com especialização em Transporte Aéreo; Frederico de Souza Barboza Júnior, professor Nilson Assunção, entre outras autoridades e convidados.

Curiosidades

O Brasil é o segundo país com o maior número de aeronaves particulares. Perdendo somente para os EUA. Em 2020 aproximadamente 460 aeronaves particulares entraram no Brasil. Este ano, já foram contabilizadas mais de 900 aeronaves.

Serviços públicos aéreos

O trabalho da equipe de pilotos dos órgãos públicos do Distrito Federal, consiste na fiscalização e no policiamento civil, militar e de trânsito. No patrulhamento aéreo viário, no transporte de vítimas e pacientes de hospitais, no apoio às ações da engenharia e da educação de trânsito, no transporte de órgãos para transplantes e no apoio a órgãos externos, no apoio a perseguição e prisão de meliantes e no combate a incêndios florestais, entre outros serviços.

Mapa do site Dúvidas frequentes